VOCÊ JÁ OUVIU FALAR SOBRE O ESPAÇO MAKER NA ESCOLA?

‹ voltar

10.05.2019

Espaço Maker Rúpolo

 

Boa tarde leitores, tudo bem?

 

Das várias perguntas que fazemos aqui toda semana, nosso intuito mais do que oferecer respostas, é proporcionar ainda mais perguntas sobre o vasto universo da educação e que permanece se atualizando num ritmo acelerado, refletir é parte crucial do processo de crescimento, por isso aqui estamos.

 

Para falar de um espaço maker, é necessário acima de tudo compreendermos este momento maker que vivemos, acredite, este não é um slogan daqueles programas de design que você já está cansado de ver, é uma realidade. Nos dias atuais é sim verdade que conseguimos pela internet aprender a fazer tudo, ou quase tudo, o que não aprendemos achamos que aprendemos e vamos lá tentar, não é?

 

Para tudo hoje tem um tutorial, um vídeo no YouTube ou uma página no Google com imagens que nos ensina a fazer, a criar, realizar, esta noção é o que resume o que chamei ali em cima por Momento Maker, que você pode entender também por “colocar a mão na massa”, para os mais antenados, o famoso DIY, ou do it yourself, resumidamente, temos mais fácil e rápido qualquer tipo de informação, o espaço escolar assume essa premissa para pensar seu espaço de uma maneira mais criativa, efetiva, um espaço mais maker.

 

Diversas escolas estão cada vez mais investindo em um ambiente diferenciado de aprendizagem, afinal a escola está lidando com um público que desconhece o mundo sem a internet, isso quer dizer muita coisa leitores, muita coisa...Mais do que diferenciação da concorrência, é de extrema importância iniciativas que caminham para que seja firmada na percepção destas novas gerações, que a escola é sim o espaço onde o aluno pode expressar toda a sua criatividade, é sim o local onde ele pode sugerir projetos e também fazer parte de outros, de criar e fazer parte de outras criações, acima de tudo, experimentar algo prático relacionado ao conhecimento, isso vem  sido um desafio cada vez mais latente na atualidade, por incrível que pareça!

 

É caro fazer um espaço maker na escola? Relativamente não, o laboratório de inovação ou espaço maker que nos referimos, pode comportar notebooks, tablets, softwares de programação, ou pode ser um espaço decorado por alunos, o que é ainda mais criativo, onde mesas e materiais básicos são dispostos, é acima de tudo um espaço de projetos e soluções, pode trabalhar com material reciclável por exemplo, na mesma medida em que trabalha com impressora 3D, ferramentas como serrotes, martelos, pedaços de madeira e de plástico, coisas dentro de nossa realidade e que podem incentivar a criação.

 

 

Experimentar algo na prática é a premissa inicial deste espaço escolar, um aluno que experimentou algo na prática no ensino fundamental chega mais forte no ensino médio, e assim por diante. Transformar um espaço, amparado conceitualmente pelas competências atitudinais, por exemplo, que já são desenvolvidas durante o percurso escolar, me parece um caminho riquíssimo para pensar num espaço maker.

 

Encerramos por aqui leitores, com mais essa reflexão de outra possibilidade interessante e que ganha cada vez mais força no cenário educacional brasileiro.

 

E ai você gostou desta ideia de espaço maker? Deixe aqui nos comentários.

 

Um abraço.

 

 

Victor Gulart.