BREVES REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL

‹ voltar

22.03.2019

 

Breves reflexões sobre educação socioemocional

 

O mundo em que vivemos é exigente, caros leitores, ele exige de nós energia, foco e acima de tudo cada vez mais, em menos tempo, a capacidade que temos de nos adaptarmos com o “novo”. Nesse sentido, o ser humano está em constante superação de si mesmo, desenvolver competências socioemocionais na atualidade, são de extrema importância.

 

Nesse processo de reconexão com o mundo em que vivemos, essas competências que podem ser desenvolvidas com crianças, por exemplo, na prática escolar, não se debruçam sobre questões teóricas, tampouco sobre a repetição de exercícios ou sobre o foco tradicional em uma palavra chamada ‘nota’, mas sobre uma proposta de desenvolvimento de habilidades para controlar emoções, alcançar objetivos, demonstrar empatia, manter relações sociais positivas e tomar decisões de maneira responsável; existem até espaços onde há trabalhos com culinária e primeiros socorros, interessante não acham?

 

Isso nunca foi novidade na educação, sempre houve uma busca por práticas pedagógicas mais justas e eficazes, a diferença dessa discussão na atualidade é que avançamos um pouco, hoje conseguimos ver com mais clareza que o desenvolvimento destas práticas socioemocionais não interferem na aplicação do conteúdo, pelo contrário, caminha junto, assim como estamos lidando com o desafio de inserir novas tecnologias e novas plataformas nesse bolo todo.

Existem ótimos indicadores a respeito do desenvolvimento das práticas socioemocionais como um caminho para a aprendizagem e o sucesso escolar de alunos da educação básica no país, a psicopedagogia tem discutido muito isso ultimamente e colhendo ótimos indicadores de como atender de fato a encomenda feita pelo CNE – Conselho Nacional de Educação em 2013 à Unesco, a de inserir intencionalmente estas práticas de formação socioemocional.

 

No meio acadêmico, por exemplo, os pesquisadores têm se debruçado nessa tarefa de instruir e explicar o que são de fato estas competências socioemocionais e hoje há um certo consenso em organizar estas habilidades em cinco grandes domínios: os famosos "Big 5", vocês podem pesquisar mais sobre o assunto, mas bem resumidamente, Openness (Abertura, ou o quão você está aberto a experiências), Conscientiousness (Conscienciosidade, uma mistura de consciência e responsabilidade ligada a noções de autonomia de estudo, de trabalho) Extraversion (Extroversão, muito ligado a sociabilidade), Agreeableness (Amabilidade, ou seja, sua simpatia, tolerância e capacidade de trabalhar em grupo, e porfim o  Neuroticism (Estabilidade emocional, a consistência nas reações emocionais, o autocontrole).

 

Há uma grande discussão sobre as Big 5, mas o consenso é essa preocupação maior com questões que vão além do conteúdo exposto em sala de aula, percebem? O filme do diretor francês Laurent Cantet, de 2008 chamado Entre Les Murs, traduzido no brasil por Entre os Muros da Escola, ilustra com maestria essa importância do desenvolvimento de habilidades socioemocionais dentro de uma escola tradicional francesa que é absurdamente próxima de necessidades que professores brasileiros passaram hoje dentro de uma sala de aula de ensino médio, por exemplo. 

 

Agradeço a paciência leitores, que nossas reflexões sejam capazes e inspirar na mesma medida em que atualizem, informem, formar ou lapidar competências socioemocionais não é responsabilidade exclusiva da escola, isso é bom lembrar...

 

Grande abraço, ótima semana.

Victor”